Acesso restrito:

E-mail:
Senha:
 

Apresentação Temas para debate

Selecione o tema abaixo para ver seu conteúdo


Fatos, dados e conjuntura

Fatos, dados e conjuntura
RSS
09/08/2012
DF
5
pontos
Gostei
COMMODITIES: NOSSO BEM E NOSSO MAL
Basear o modelo de crescimento de nossa economia na exportação de commodities tem seus custos.

As condições internacionais ditadas tanto pelo deslocamento de parte importante das cadeias produtivas para os países emergentes quanto pelas bolhas especulativas amereicanas, criaram um longo ciclo de bons negócios em escala mundial.

Mesmo com as crises a economia mundial teve um forte crescimento e a cinergia centro-semi periferia acabou trazendo à cena países como o Brasil, China, Índia, Rússia, África do Sul etc.

A forte inserção da China, da Índia e da Rússia e outros como fornecedores de manufaturados no mercado mundial gerou emprego interno nos páises e criou um novo estilo de mercado consumidor. Enbora não dispondo do poder aquisivito dos mercados do centro os mercados consumidores da semi perideria dispõem de quantidade. A agregação reente foi na casa dos bilhões, completando a cinergia.

Nesse cenário o Brasil não teve meios de desempenhar um forte papel como fornecedor de manufaturados dadas as suas insuficiências institucionais e estruturais, mas acabaou se beneficiando como exportador de commodities para os outros países emergentes.

A mudança das cadeias produtivas para a semi periferia foi feita como estratégia de redução de custos e, de fato, ao mesmo tempo que os preços das commodities alavancados pelos bons tempos e o acréscimo de novos mercados de consumo subia o preço relativo dos manufaturados caia. A crise iniciada em 2008/2009 pagou pelo lado dos manufaturados reduzindo ainda mais seu preço relativo.

Como resultado vivemos uma inversão dos histórico fluxo de riquezas. Pela primeira vez em toda a história brasileira as exportações de commodities foram lucrativas frente as importações de manufaturados e bens de capital. Esse fluxo positivo teve e tem imnportante papel na dinâmica econômica brasileira.

Porém, nem tudo é festa, pois o mesma queda dos preços relativos dos  manufaturados importados também pegou a nossa exportação nessa parte da pauta e afetou a indústria naciinal, dando origem a toda uma série de medidas protecionistas. Discutíveis, aliás.

Agora vai contecendo algo meio semelhante, tipo bem e mal, na questão dos alimentos. Ao mesmo tempo que ganhamos na pauta de exportação com a alta internacinal do preços dos alimentos essa alta torna-se a principal responsável pelo aumento não apenas da inflação medida, mas das expectativas de infação, criando uma situação paradoxal de queda da atividade econômica alinhada com uma alta de preços.

Esta é a armadilha da confortável política de tentar sustentar o crescimento brasileiro apoiando-se na exportação de commodities.

Demetrio Carneiro 

 

0 Comentario(s)


Para poder fazer seu comentario, cadastre-se!

 

Fale conosco



Twitter Updates


    Mais lidas